Essa coisa estranha chamada amor.

day-33

1606datebutton juneSaudações do presídio de segurança máxima em Catanduvas. Meu nome é Mario Antunes de Orleans e Mello, vulgo Mario PhD, detento lotado na cela J.

Um dia eu decidi ler uma das milhares de cartas que recebo toda semana. Quem me escreveu foi Rosyclei Pereira, moradora de Belfort Roxo, 26 anos, mãe de 7 filhos e dançarina de funk. Seu nome artístico: Mulher Quebra Queixo. Rosyclei aparentemente acompanhou todos os detalhes da minha prisão, e conseqüente condenação, através dos noticiários locais.

Na carta, ela me disse que achou que a justiça cometeu um grande erro em me condenar e que também me achava “gostoso, tesudo, tudo de bom e bichadão”.

Ela se ofereceu a me ajudar com assistência jurídica e sugeriu que deveríamos nos casar. Aquela era uma carta ímpar, mas apesar da minha solidão, eu não me senti inclinado a engajar numa relação romântica com a Srta. Rosyclei.

Minha resposta foi concisa, porém honesta. Eu a informei que apesar de sua demonstração de bom gosto ao sucumbir a meus encantos físicos [e à minha mística intelectual], ela havia demonstrado uma baixa capacidade de julgamento ao propor casamento a um homem servindo pena de 25 anos por grave delito.

Essa não é o tipo de decisão que uma mulher racional toma.

Eu também expliquei que a minha capacidade de “ganhar o pão” estava muito limitada e que além das visitas conjugais ocasionais, nós teríamos muito poucas oportunidades realistas para mantermos uma relação conjugal tradicional.

(Levando em consideração que a Rosyclei já tinha sete filhos, pode ser que esse tenha sido um fator que a impulsionou a me escolher como futuro marido).

Em suma, eu sugeri que ela se livrasse daquela idéia tola e sem noção e que desse continuidade à sua vida abissalmente horrenda.

Eu fiquei muito surpreso, contudo, ao receber a seguinte resposta:

Apressado Mario, (Eu acho que ela quis dizer prezado, mas não tenho certeza)

Você é tão gentiu e legau para me dizer para eu não pensar em você mais eu amo você e quero ficar com você e ver você e apenas amar você e fazer as pessoas saberem que você é inocenti

Eu vou ti visitá assim que eu tivé o dinheiro da passagi e aí você vai me vê e saber que estou falando serio e que sou diferenti das outras mulher vadias que escreve pros presos

Essa é minha fotu com meus filhos algumas pessoas diz que eu ainda se pareçu do mesmo jeito antes de parir eles

Muitos beijus (e talvez mais!) Rosyclei

Dava pra ver que a Rosyclei não era facilmente intimidada. E também não era difícil de acreditar que ela tinha sete filhos.

Creio que vocês conseguem perceber a minha situação. A minha experiência diz que sempre que uma pessoa aparentar ser  mentalmente deficiente por meio de uma carta, dificilmente  ela será melhor pessoalmente – geralmente é bem pior.

Contudo, eu não serei desrespeitoso e lhe concederei a honra de uma audiência. A foto dela cativou minha atenção e, talvez, se nos encontrarmos face a face, eu poderei persuadi-la a desistir dessa idéia tola de girico e, até quem sabe, a voltar à escola para tirar seu diploma de primeiro grau.

Obviamente, eu vos deixarei informado sobre as novidades.

Em 1998 foi preso o motoboy Francisco de Assis Pereira, mais conhecido como maníaco do parque. O mesmo disse, em entrevista à revista Isto É, ter recebido inúmeras cartas de mulheres apaixonadas e inclusive propostas de casamento.

Em 2007 um documentário chamado “Crazy Love” (Louco Amor) rodou o mundo. Ele narra a história de um unlockadvogado e empresário de sucesso que se apaixonou por uma mulher 11 anos mais nova. Ele a pediu em casamento, ela aceitou, mas descobriu que ele já era casado e tinha uma filha. Ela resolveu pular fora, ele tentou reconquistá-la. Não tendo êxito, passou a ameaçá-la caso não voltasse atrás. Por fim, ele contratou três homens para jogar ácido no rosto da “amada” que perdeu a visão no ataque. Ele foi mandado para a prisão, onde ficou 14 anos. Quando foi libertado, procurou a ex-namorada, que o aceitou de volta e casou-se com ele. Essa é uma história real.

Coisa estranha esse tal de amor.

5 comentários sobre “Essa coisa estranha chamada amor.

  1. Pode ser estranho este tal de amor… mas vamos combinar que a Rosyclei é porreta , ah isto ela é…
    Deve ser por que começa com Rô. risos
    Beijo

  2. Cumprimentos Ivan da ram. Eu igualmente passo sobre cumprimentos dos moinhos de Don. Visitá-lo-ia ele mesmo mas sente que pôde ser mau para seus quadris. Todo o melhor! Ram e Don!
    —-

    I don’t imagine that translated well.

    Greetings Ivan, from Ram.

    I also pass on greetings from Don Mills. He would visit you himself but he feels it might be bad for his hips.

    All the best! Ram and Don!

    1. Tks Ram! You and Don are both nice fellows. You both have inspired me and cracked me up!

      That Babylon translation device is definetely hillarious… but you know what, I thought it really impressive and kind of you.

      All the best for you too!

      1. Thanks Ivan.

        And it’s true. I’ve used the translator before when I’ve received comments in other languages. The results are always very amusing.

        Congrats on your soccor team’s win.

        All the best,

        Ram

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s