O Fantasma de Grapevine Mills

stooge shirt

Parte 1 – A Mística que Me Faz Sentir Pateta

2506datebutton redQuando morei no Texas passei por uma experiência espantosa [superior à experiência na prisão]. Eu e a família tínhamos o hábito de almoçar aos domingos no Shopping Grapevine Mills. Era um domingo típico de verão em Dallas e ainda no carro a gente fazia uma espécie de leilão para decidir aonde comer: Eu queria o Cozymel, a então esposa queria o Chili’s e a criançada queria o Rainforest Cafe. Como eu era o chefe e mandava, fomos para o Rainforest. Até aí, tudo normal. Entramos, como de costume, pela Bluebonnet Entry 3 quando de repente me veio o seguinte pensamento totalmente desvinculado daquele contexto: Seria legal uma camiseta com a foto dos 3 patetas nela. Eu dei uma olhadinha para o lado para ver se alguém havia dito isso. Como a voz veio em português, precisaria ser a voz de um adulto, do sexo masculino, e brasileiro. Eu era o único ali com aquele perfil, portanto era um pensamento único e exclusivamente meu. Pensei com meus botões:

– Que diabo de pensamento é esse totalmente sem sentido?

3stoogesA idéia me soou tão idiota que nem ousei contar para ninguém da família. Enquanto engolia a gororoba do Rainforest [e pensava no Pollo Poblano do Cozymel], já havia me esquecido da tal camiseta com a foto dos 3 patetas. Terminamos o almoço e rumamos para a volta olímpica pelo shopping [o Grapevine é tão grande que as pessoas praticam caminhada dentro dele para escapar do sol escaldante], o que sempre me fazia alguns dólares mais pobre no final. As lojas que entrávamos eram as mesmas de sempre. Naquele dia, enquanto os demais se ocupavam experimentando roupas na Old Navy, eu, estranhamente, me senti atraído a uma determinada loja que nunca havia me chamado a atenção. A sensação enquanto eu entrava na loja era como se alguma força estranha me puxasse lá pra dentro, mais precisamente para o fundo da loja, a uma determinada arara, a um determinado cabide, a uma determinada camiseta, dos 3 patetas!

– Tá amarrado! O sangue de Jesus tem poder! Pé de pato mangalô tres veis!

Larguei a camiseta lá e voltei correndo para o seio da família amada [é o que homens fazem quando estão com o CU na mão]. Contei tudo pra eles. Desde o momento do pensamento insano, que veio sei lá de onde [eu achava que era do colo de Lúcifer], até a minha abdução em direção à arara mal assombrada. A criançada adorou a estória e pôs os pés em polvorosa:

Compra! Compra! Compra!

A esposa [já disse que era a então, né?] assinou embaixo e sacando o [meu] cartão de crédito comprou a T-Shirt.

Bem, eu quando criança sempre fui um grannnnnnde fã dos 3 patetas [eu sei que isso explica um monte de coisas para alguns de vocês], mas eu nunca desejei, ou imaginava ter uma camiseta com a foto do Moe, Larry e do Curly estampada nela. Hoje eu tenho e gosto muito dela. Grande mistério.

Parte 2 – A Mística do Amor

Em geral as pessoas se achegam a Deus em tempos difíceis. Eu, por outro lado, tenho certa dificuldade de interagir com o altíssimo em tempos de trevas, e me sinto mais confortável com ele quando as coisas estão legais. Sou assim trocado em algumas coisas, feito roupa no avesso. Para ser bem sincero sou um cético por padrão e me inclino muito a racionalizar as coisas. Isso não significa, em absoluto, que não tenho fé. Ela é pequena, mas sincera. O Senhor não disse que se tivéssemos uma fé do tamanho de um grão de mostarda poderíamos mover um monte? Pois, então, a minha é do tamanho do caroço do abacate. Agora, eu acredito muito no amor. Quando, por amor,  alguém me diz para tomar banho com sal para remover energias negativas, ou quando me envia por torpedo uma prece do anjo da purificação que me ajudará a abrir a mente e coração ao sol interior com raios da amorosa luz, eu deixo de lado o racional e coloco toda minha fé no amor que me toca e me faz acreditar. Do que valem as orações dos padres, pastores, espíritas, budistas, místicos em geral se não for por amor? O amor é tudo. Como disse Don Juan de Marco, “Na vida existem quatro questões de valor: O que é sagrado? De que é feito o espírito? Por que vale a pena viver? Por que vale a pena morrer? A resposta para todas elas é uma só: o amor”

6 comentários sobre “O Fantasma de Grapevine Mills

  1. Li seu blog logo cedo, pois logo cedo também volto meus pensamentos e minhas orações a todos a quem eu tenho amor. Gosto de te sentir na forma linear doce e amorosa, nas sua linhas e entrelinhas … aliás penso que vc é as linhas que vc escreve. E a cada uma que leio gosto mais. Não sou boa em escrever( vc é quem é ) te digo mais outra hora , mas senti o texto como expressão de amor e espiritualidade e é bonito de ver isto tão aflorado latente em você!

  2. Gostei, escreve com leveza, criatividade e bom humor. Parabéns!
    Também assisti muito eles, e dei muitas risadas.
    Beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s