Relevante Para Mim

pianoEste blog não tem uma proposta fechada. Não é um blog de humor, apesar de ter humor, não é um blog de informação, apesar de ter informação. Contudo, quando me vem à cabeça um tema sério, eu busco escrevê-lo o mais leve possível e com uma pitada de humor. O assunto de hoje vai ser muito difícil [mas não impossível] de conter algum gracejo. Estou bem chateado com algo. Ao longo das últimas semanas a imprensa vem nos bombardeando com informações acerca do acidente com o avião da Air France e, mais recentemente, com a morte de Michael Jackson. Eu questiono muito o tipo de informação que tentam me passar os meios de comunicação. Honestamente, não compreendo muito o grau de relevância que é dado a um acidente aéreo, à morte de uma celebridade ou ao tiro que um sujeito deu numa pessoa em uma boate. Veja bem, eu questiono o montante de ênfase que é dado. A informação em si é, salvo algumas exceções, válida de alguma maneira. Mas a massificação de um assunto me preocupa e muitas vezes irrita.  Por opção pessoal não dou muita atenção a casos de crianças sendo jogadas pelas janelas, arrastadas por carros, ou sobre dois rapazes que morreram em face de um motorista estúpido alcoolizado que os atingiu sem piedade. Eu lamento as mortes, mas deixo que as famílias chorem e enterrem os seus mortos. Esse é um destino pessoal que não reserva exceções. Não tenho interesse em saber dessas tragédias.

Agora, o que realmente me deixa transtornado é quando sei de um fato grande que precisa ser divulgado a fim de criar massa crítica, a fim de gerar uma comoção que conduza a uma reação frutuosa para o caráter de um povo e de uma nação, mas que simplesmente passa obscurecido como se não representasse relevância alguma. Na semana que se findou, os times Grêmio e Cruzeiro disputaram uma vaga à final da Copa Libertadores das Américas em Porto Alegre. Um incidente ocorrido durante o aquecimento dos times faria Simon Bolívar [favor não confundir com Simone de Beauvoir] se revirar no túmulo de tanto desapontamento. Na partida anterior a essa, os dois times jogaram em Belo Horizonte onde ocorreu um quiproquó entre os jogadores Elicarlos, esse negro e brasileiro, e Máxi Lopez, branco e argentino.  Elicarlos acusou Maxi de chamá-lo de macaco, e esse negou veementemente qualquer ato de racismo alegando, inclusive, desconhecer a palavra macaco [mono em espanhol]. Enfim, na segunda partida no estádio Olímpico em Porto Alegre, ocorreu, o que para mim, é uma das manifestações mais deprimentes do comportamento humano. Torcedores do Grêmio, enquanto o jogador Elicarlos fazia seu aquecimento, o provocavam imitando sons de macacos e xingando-o. Esses torcedores covardes e mentecaptos não foram originais em seus atos porque essa postura lamentável já foi manifesta em campos de futebol europeus. Preste bem atenção: isso aconteceu várias vezes na Europa e a imprensa internacional se preocupou em divulgar e procurar denunciar esse comportamento animal a fim de gerar em todo mundo uma reação. Os clubes envolvidos nesses atos de intolerância foram exemplarmente punidos e desde então a campanha antiracismo tem sido largamente proclamada nos campos de todo o mundo, exceto lá em Porto Alegre.

Atente comigo. Eu não estou sabendo desse fato porque vi no Jornal Nacional, ou porque li no Estadão, ou porque estava em letras garrafais nos sites do UOL ou do Terra. Não, a imprensa local se ocupava em falar   i n c e s s a n t e m e n t e   a respeito de um homem de 50 anos que dançava segurando o saco e que morrera por overdose de medicamento, de quem irá ficar com sua herança [ou dívida], ou noticiava a descoberta de mais um pedaço de fuselagem de um avião que caiu no meio do mar há mais de 30 dias. Eu não aguento [saudades do trema] mais cantarolar Billie Jean na minha mente.

ist1_8537788-noA mídia simplesmente silenciou acerca do ocorrido no Estádio Olímpico Monumental quando deveria estar martelando a ocorrência, criando uma real e valiosa comoção. Tranquilo, tranquilo diria o argentino Maxi López nao tendo que se preocupar com a ausência do trema.

Eu acredito que a essência do racismo é o orgulho, que nos leva a achar que não precisamos das outras pessoas e que nos faz julgá-las por sua aparência externa, e também o medo que sentimos daqueles que são diferentes e a quem não conseguimos controlar. Sou filho de um negro com uma branca. Acho linda a combinação que eles têm. Não só na estética das cores, mas no amor incondicional que nos criou – cinco filhos – e na harmonia das almas que dependem uma da outra e que se aceitam em cristalina perfeição.

Eu queria tanto que esse fosse o assunto do momento. Para nos envergonhar dele. Para rechaçá-lo. Para dizer: basta. Quem sabe dá no jornal? Ou quem sabe amanhã teremos mais um catatau de detalhes extremamente importantes a respeito das mais de 1 milhão de pessoas que se registraram em busca de ingressos para o funeral público de Michael Jackson. Você não perde por esperar, vai mudar a sua vida.

15 comentários sobre “Relevante Para Mim

  1. As coisas têm o valor a que ela aferimos. Folgo sabê-lo envolvido também com as causas sociais além das farmacológicas.
    Beijos

  2. …isso sem falar no preconceito em relação a pessoas obesas, magras, portadores de necessidades especiais e até por pessoas de nosso próprio país, moradoras de outras regiões que servem de piadinha de gosto duvidoso. Tudo isso e mais um pouco também me deixa muito entristecida, envergonhada de fazer parte da raça ‘humana’…(?)

  3. Muitas coisas são relevantes,por isto nem vejo jornal nacional,prefiro ficar assistindo desenhos animados na TV,mas seu texto me fez voltar ao passado,quando me mudei para Curitiba e varias vezes tive que me levantar de alguma mesa em casa de anfitriões para defender negro, nordestinos e Bahianos. Como mineira sempre vivi e convivi com a miscigenação e sou de pura raça vira lata.mas Sabemos que oq agente leva da vida é a vida que agente leva.Isto está muito longo mas somente para compartilhar com você a mesma opnião, Eu estava na argentina a primeira vez que saiu no jornal a respeito dos macaquitos brasileiros
    nem todos são iguais e os vizinhos vieram todos se solidarizarem comigo e pedir desculpas, tbem muita coisa é de imprensa marrom.Não precisa publicar eu só estou dividindo um pouquinho dos seus pensamentos comigo mesma …
    Beijos. Ah …eu nao tenho saudades nenhuma do trema…por mim sumia todos os acentos…ou acentuações?

  4. Não há palavras que sejam suficientemente fortes para que eu possa externar a minha indignação com qualquer tipo de intolerância…

  5. Mandou muito bem Kariocation! O professor nos passou o seu site. Você leva jeito. Nunca mais apareceu no churras! Um abraço!

  6. N teria como imaginar q vc tem ascendencia negra mas vc sabe q meu preconceito racial é zero, n só o racial, foram citados outros aqui masn no homosexualismo, tenho um amigo q amo de paixão e dia desses, numa conversa ele disse: “chamam d opção sexual, mas n tive opção, se a tivesse estaria na minha cidade natal, casado, cheio d filhos, advogando e almoçando na casa de meus pais nos domingos em familia pq sei q isso daria orgulho a eles”, essa pessoa é uma das mais lindas q conheço, um coração enorme e sempre tentando acertar com outras pessoas. Preconceito, qquer q seja é nojento.
    Sobre manchetes q vc citou, realmente Michael Jackson e aviões poderiam ter uma quantidade reduzida de reportagensm isso só acontece pq dá IBOPE, e deve ter sido grande o numero d pessoas q se interessou pelo funeral do astro pop uma vez q até a Globo fez a cobertura, eu realmente n entendo tanta falta do q fazer numa tarde d quarta, mas sobre o acidente dos meninos, esse eu acho q tem q ser divulgado, a esfera q ele alcança é a mesma q do jogador q foi chamado d macaco, tem q ser divulgado pra se tentar criar uma consciencia na população.
    Beijo negão

    1. Obrigado pelas palavras, Mah! Fico feliz que o blog permita discussões que elevam, e também fico feliz em ler pontos de vistas diferentes.
      Beijo do neguinho, pq negão é meu pai.. rs

  7. Realmente racismo seja qual for o citado é ridículo e hipócrita, sem razão de ainda existir diante de tanta coisa ocorrida em nossos tempos, que ainda não evoluído por alguns “elementos”, diga-se por assim nesses termos.
    Mídia sempre coloca em foco fatos que chamem a atenção de tragédias, acidentes, mortes de celebridades, tendo o canal direto ao povo para ensinar e educar diante das atrocidades cometidas por “humanos”, mas infelizmente não o faz, pois o que daria em ibope???
    As cabeças pensantes são poucas, e as que existem quase não se manifestam.
    Agora manter ainda a indecência do racismo???
    Quando será a evolução dos povos??
    Daqui 1000 anos??

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s