Zarolho

olho

Ele tinha um pedaço de alface preso entre os dentes e percebeu que eu estava encarando.

“É um olho torto”, ele disse.

“O que?”

“Um olho torto. Eu percebi que você estava encarando. Esse meu olho está sempre olhando para dentro, para fora, para cima ou para baixo, sempre fora de sincronia com o outro olho. É assim desde nascença…”

“Não, eu só…”

“Sim, às vezes ele olha para uma direção diferente. Dá um nervoso, não é mesmo?”

“Não, eu não estava olhando para o seu olho,” concluí.

“Ah, não ligue,” ele disse, “todo mundo olha. Não precisa ficar envergonhado, porque eu não fico. Eu sei que é muito esquisito ver um olho assim. Algumas pessoas acham que é Olho Preguiçoso, mas aí é diferente. Olho Preguiçoso é Ambliopia, já olho torto é considerado apenas Estrabismo.”

“Ah tá… Posso lhe fazer uma pergunta sobre esse seu olho torto?”

“Claro, sem problema algum. A educação é o segredo de tudo, não é verdade? Fique a vontade, pergunte.”

“Bem, eu estava aqui pensando com meus botões: será que, por acaso, esse seu olho torto pode ver o pedaço de alface preso entre seus dentes?…”

_________________________________________

perfeito

18 comentários sobre “Zarolho

  1. Sinceramente gostaria de saber de onde vem inspiração pra tanta sandice….ahahahahahaha
    beijo e bom domingo, querido.

    1. Sinceramente, o que não falta nessa vida de sandices são inspirações. Sobretudo nesse nosso país tão divertido. Repare quantas coisas cômicas nos cercam o dia todo.

      Um ótimo domingo para você também, meu bem.

      Beijos

  2. Oi Ivan, tudo bem?
    Rsrsrs, adorei, mostra como as pessoas estão acostumadas a serem precipitadas. Estão tão acostumadas com determinados comentários que quando alguém está para lhe dizer algo que tem nada a ver, elas já se precipitam e tentam adivinhar.
    Não deixam as pessoas se expressarem devidamente, tentando advinhar seus pensamentos.
    Realmente, se todos resolvessesm seguir, tudo seria mais fácil, rsrs.

    Abraços querido
    🙂

    1. Pois é. Acho que um dos maiores desafios de uma pessoa é aprender a ser célere ao ouvir e tardio a falar. Confesso que não é nada fácil para mim!

      Agora, quando se trata de uma alface nos dentes, eu sou um felizardo porque a anatomia dos meus dentes é privilegiada. Jamais fiquei com nada preso entre eles! Bem, pelo menos eu nunca vi.. rssssss

      Um abração, Dil.

      Tenha uma ótima semana e obrigado pela passadinha por aqui.

      Ivan.

  3. Sensacional a sacada!
    A gente se preocupa tanto com nossos defeitos (e com a opinião alheia) e, na ansiedade de se justificar, já presume que as pessoas estão nos julgando por causa dele.
    Genial… adorei!
    Boa semana pra você,
    Beijos

    1. Verdade, não é mesmo?! Eu sempre aviso quando tem folha no dente ou o zíper está aberto! Se a pessoa não quiser ouvir, então já é problema dela. rsss

      Antes fossem apenas essas coisinhas que nos fizessem tão ressabiados e rançosos para ouvir os outros ao invés de ficarmos na defensiva. Como é difícil.. 😉

      Uma beijoca e ótima semana!

      Ivan.

  4. Ótimo texto!
    Gosto de textos assim, falando das coisas simples e com humor. ( eu falo também, se o zíper estiver aberto, etc)

    Fique a vontade com as frutinhas. Mas, nem pensar em banana. rss
    Ivan é como chamarei, e ponto.
    Obrigada, pela gentil visita!
    Beijo, e uma ótima semana para você!

  5. hahah. Ai, muito bom.

    Mas gostei mesmo foi do “eu sou perfeito pra aquela pessoa imperfeita que é perfeita pra mim.”

    Beijones

    L.

    1. Sinal de que você não é zarolha! rsss

      Eu sou mesmo imperfeito para a mulher imperfeita que é perfeita pra mim! Ela é perfeitamente adorável… rss

      Ivan.

  6. A gente se apressa em justificar coisas que, às vezes, ninguém tá dando a mínima, né?

    Tsc-tsc-tsc…pessoas e suas neuras. Sempre rendendo assunto. 😉

    Beijos.

    ℓυηα

  7. kkkkkkkkkkkkkkkkk Adorei!

    É incrivel como cada um tem um calo… aquele que dói pra danar…. e logo vão justificando o que nem perguntamos…

    Esses alfaces ( é masculino, né?) sempre nos colocando em maus lençóis rsrsrsrs

    bjinhos

    1. Oi Andrea, muito obrigado pela visita e comentário.

      Pois é, alface, casquinha de feijão, ervilha… essas coisas teimam em prender nos dentes. Pensando bem, será que são elas que ficam presas, ou somos nós que nos prendemos nelas? Afinal de contas, quem comanda a escova de dentes somos nós. rssss

      Quanto ao gênero da alface. Me parece que ela é ela mesmo. Há uma teoria que tenta descrever a alternância do gênero masculino/feminino no contato lingüístico entre o português e o italiano, que é a premissa que fundamenta essas dúvidas: alface, alfinete, cal, chaminé, dó, gilete, sabonete, pá, saca-rolhas, fantasma, soja e tapa. Houaiss e Aurélio dizem que é Substantivo feminino.

      Mas, quer saber, o lance mesmo é nao deixar presa nos dentes.

      Beijinhos.

      Ivan.

  8. HAHAHAHAHAHHA Dei muita risada!!!
    E adorei essa última frase… da perfeição…

    E aí meu amigo, arrebentou o fio de lã?
    Espero que sim!! kkkkkkkkkk

    Pois é, não foi dessa vez, mas haverão novas chances!!! Não perca a fé e a esperança irmão!!
    kkkkkkkkkkkkk

    Sinto muito, mas não tem mais como deixar de ser seguidor… rsrs

    Beijos e óóóóótima semana!!!

    1. Esse é meu espírito falando. O corpo morreu enforcado num fio de lã! rssss

      Sou um azarado para sorteios mesmo… deixa pra lá… 🙂

      Beijinhos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s