NA PRAIA

Você que gosta de samba, mas tem um monte de amiguinhos descolados que acham samba um saco, releve. Dizer que todo brasileiro que não gosta de samba bom sujeito não é, é o mesmo que dizer que o tcheco que não gosta de polka é um amargo sem pai nem mãe. Eu proponho um mutirão de amor. O negócio é cantar sempre que for possível, não ligar para os malvados, perdoar os pecados. Saber que nem tudo é perdido, se manter respeitado, pra poder ser amado. Esse é meu tributo escrito a toda sorte de arte como essa de Jorge Aragão com a companhia de Zeca Pagodinho. Desfrute.

eu gosto

Leia novo post abaixo: SB quer dizer Seu Bobo Arrow_Down

14 comentários sobre “

    1. Andrea,

      Assim é que se faz! Vamos bombar esse mutirão de amor, porque nem tudo está perdido.

      Ótimo findi pra vc e para os teus tbm.

      Ivan.

  1. Com certeza eu não sou do tipo que gosta do samba, mais sinceramente, se tiver uma cervejinha e um gatinho samabando, eu sambo também sem pensar duas vezes, samba é alegria, não ouço todo dia, mais quando ouço não morro. Jorge Aragão até canta bem né!!
    Com certeza somos melhores unidos do que separados..

    Sobre saber se vão ler ou não meus textos no blog, eu nunca achei que eu fosse ter um texto com 9 comentários, eu me alegrava com dois ou tres.
    ;D

    1. É bem esse o espírito, Ludmilla. Nunca deixar a intolerância prevalecer. Com gatinho, ou com o Tião Macalé, o importante é sorrir e cantar.

      Fico feliz por estar feliz com seu blog e os comentários.

      Bom findi.

    1. Oba! O que é selinho? É de comer? É de grátis? Ganhei finalmente um sorteio?

      Eu vou lá no Lets Go Girls, mas se meus amigos souberem vai ser xingamento de viado pra baixo.

      Bom fim de semana para toda a família.

      Ivan.

  2. Poxa! Concordo contigo!!!

    Adoooro um sambinha de raiz, cervejinha, churrasco… tanto quanto um bate cabeça rock n’ roll na veia! E viva a diversidade!

    Po, o mutirão do amor.. vou passar a diante =D
    Lindinho! rs

    Bjooos

    P.S.: Paulistano é sofredor orgulhoso, fazer o quê? hahahaha!

    1. Opa! E viva a diversidade! É bem por aí. Se a coisa me toca de alguma maneira, arte ela será. Não importa o que me disser o cara da direita, nem a moça da esquerda. O lance é curtir com paz na consciência.

      Passe adiante o mutirão! Dias melhores virão!

      Bjo.

      P.S.: Eu imaginei essa resposta vinda de um paulistano. E quer saber? Nao tem outra resposta vinda de um paulistano. Sorte! rssssssss

  3. ai, ontem comentei com meu bem, que Jorge Aragão canta com uma paz muito gostosa,e pra quem gosta de samba é impossivel não sentir. adoro samba, adoro jorge aragão, adoro a idéia do mutirão de amor “pra que as barreiras se desfaçam na poeira”(…)é o que convem pra gente ser feliz!

    Beijos,Lu.

    1. Oi Lu!

      Muito bom saber que a idéia do mutirão está se espalhando com força. Amor para todos, das diversas formas e expressões. Paz entre os homens e um coração generoso e compassivo. Vários ingredientes para dias mais felizes.

      Bjo.

      Ivan.

  4. Respeitar os gostos individuais é uma coisa que parece tão simples, mas metade do povo não aprender. Não vou dizer que eu não cometo os meus deslizes, mas tento não pré-julgar as coisas.

    Gosto de samba, gosto de rock, gosto de MPB (e não discuto a nomenclatura). Gosto de nada, gosto de tudo; gosto é de música boa!

    1. Pré-julgamento é algo complicado na gente, não é mesmo? Ontem abriram os meus olhos quanto aos males da ironia e do sarcasmo nos tratamento interpessoais. Caraca! É bem difícil viver decentemente com essa alma torpe que a gente tem! Mas, vamos continuar tentando melhorar pq é o que nos resta. Tou feliz como você que gosta de tudo e nao gosta de nada! Gostei disso! rsss

      Um abraço!

      Ivan.

  5. Pois é, nunca fui do tipo sambística, quem me conhece sabe que o jazz e a música clássica fazem minha cabeça, assim como blues e folk, e rock às vezes, mas gosto quando estou no meio da parada… uma casa noturna na Lapa, caipirinha na mão e uma banda legal tocando sambas clássicos… e sei sambar razoavelmente. Mas não é o samba que fala pelo meu espírito. Às vezes, quando me convidam, sinto um cansaço antecipado, imaginar aquela alegria excessiva, aquela coisa efusiva sem razão, por vezes realmente falsa e forçada para o meu gosto, mesmo que seja bela ou divertida. Ficar lá, bebendo cerveja gelada, vendo aqueles carinhas de chapéu panamá “fazendo estilo” (batido), às vezes enche. E quando estou no meio da coisa, prefiro dançar só, que ninguém me venha com pose de macho galante me convidar, que vou dar uma de sabonete. Ouvir samba em casa, só pra dias ensolarados. Mas é raro. No mais, prefiro Jorge Ben, nos seus tempos da Tábua de Esmeralda… samba rock. Samba com cérebro, guitarras e letras estapafúrdias.
    Tirando Cartola, e os outros grandes mestres, não faz muito a minha praia o samba… mas me aquece o coração ver paz e amor genuíno no coração de quem curte com toda a alma.

    1. O importante quase sempre é como termina. A idéia é bem essa! Ver paz e amor genuínos nos corações de quem quer que seja ao som do que quer que seja.

      Beijoca,

      Ivan.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s