Roteirista de House

Época de Natal é ótimo pra passar o dia de cueca, comendo besteiras, esquecendo o relógio e assistindo DVD, muito DVD, como por exemplo, Temporadas 1 -4 de House. Enquanto eu assistia fiquei imaginando como seria legal brincar de ser um dos roteiristas que escrevem esses sitcoms. O único problema é que depois de ter assistido cerca de 267 horas de House, eu não consegui escolher um episódio para reescrever, sendo assim decidi fazer uma revisão da série inteira em uma pequenina sinopse.

Vamos começar com uma rápida apresentação dos personagens principais:

Da esquerda para direita: Dr. Foreman, Dra. Cameron, e Dr. Chase (Equipe médica de House ou seus filhos. Não sei ao certo); Dr. House (Provavelmente o personagem principal, a série leva o seu nome); Dra. Cuddy (ela é a chefe de todo mundo); Dr. Wilson (Amigo ou amante de House, ou a consciência dele).

O programa inicia geralmente com uma pessoa jovem, de meia idade ou velha fazendo sexo, fazendo alguma coisa, pensando em fazer alguma coisa ou não fazendo nada ou talvez fazendo algo. Essa pessoa vomita ou tem espasmos, ou uma convulsão, ou um coma, ou se borra ou xinga, vomita, ou tem uma diarréia explosiva em alguém que ama; ou com algo indicando, aparentemente, uma enfermidade de alguma natureza. Depois de passados os créditos na abertura com  belas imagens de coisas que parecem relacionadas à medicina, iniciam-se os diálogos entre os personagens da série, que, geralmente, é algo assim:

Cena Após os Créditos de Abertura; House discute o caso de um paciente com sua Equipe Médica/Filhos:

House: Qual o diagnóstico diferencial desse cara/ garota/ homem/ mulher/ biba idiota fracassado [paciente]?

Foreman: House, nem todo paciente é um fracassado só porque você tem um problema na perna e usa uma bengala seu branquelo escroto aleijado racista pau no cu!

Cameron: Talvez seja Lúpus. Ou uma desordem semelhante a Lúpus. Ou uma desordem que age feito Lúpus só para nos confundir. Ou talvez um câncer parecido com Lúpus. Eu já falei que meu marido morreu de um câncer parecido com Lúpus? Se eu tivesse pensado no câncer antes de tratá-lo de Lúpus.

Chase: Meu cabelo fica assim quando eu saio da cama. Eu juro, exatamente desse jeito. Eu sei que vocês não estão acreditando em mim, mas porque eu mentiria sobre o meu cabelo? Qual é Cameron, passa a mão nele pra você sentir! Não quer? Foreman? House? Não? Então vão se foder todos vocês!

House: Foreman, eu iria contar uma piada de humor negro pra você, mas seria um desperdício, porque você é negro. Cameron, seu marido cometeu suicídio porque você não consegue dizer uma frase que não contenha a palavra ‘Lúpus’ nela, e eu entendo completamente o que ele sentiu agora. Chase, eu menti. Sim, eu gostaria de tocar o seu cabelo, meu pequeno viadinho australiano. Para encurtar o papo, vocês são um bando de babacas retardados, e eu vou curar o paciente sozinho depois que eu meter a napa na brizola [nota do tradutor: cheirar uma carreira de cocaína], porque  é isso o que todos os médicos brilhantes e grosseiros da América  fazem. Isso mesmo pessoal, na América inteira.

Próxima Cena: House se encontra com o paciente na tentativa de desvendar a doença misteriosa:

House: Eu sou Dr. House, eu vou curar você hoje, sua bicha/ bibinha/ retardado/ cuzão/ paciente idoso que provavelmente é um molestador de criança ou um insurgente iraquiano.

Paciente: O que tem de errado comigo?

House: Você, sua família, e seus filhos não nascidos são burros demais para entender qualquer coisa que eu tenha a dizer, portanto eu não vou falar com você.  Contudo, eu irei fazer um furo na sua cabeça ou administrar uma punção lombar/ ressonância magnética/ ultrasom/perfil psiquiátrico/sonda anal ou fazer uma coleta com swab para descobrir qual o seu problema, seu pedaço de merda inútil.

Paciente: Minha nossa! Você não é nada gentil! (Seguido imediatamente de um ataque convulsivo ou vômito de sangue, ou vômito de vômito, ou vômito de urina, ou vômito do pulmão; talvez o vômito de um coma).

Próxima Cena: Dra. Cuddy dá uma dura em House por causa de suas ações antiéticas:

Cuddy: House, eu não acredito que você colocou uma sonda anal no paciente, sem o devido consentimento! Com uma máquina de ressonância magnética! Na biblioteca usando um candelabro! O que está acontecendo com você, enlouqueceu? E pare de olhar para meu decote e para minha bunda! Estou vestindo “Business Casual”, não “Puta Uniban”, seu imbecil! Se você aprontar mais uma dessas brincadeiras eu vou dar um jeito de você ser despedido!

House: Ajudaria se eu lhe dissesse que durante a administração da Sonda Anal, eu estava pensando em você?

Cuddy: Talvez.

Próxima Cena: Wilson diz a House que ele é um desalmado e que jamais será amado por alguém:

Wilson: House, você é um desalmado e jamais será amado por alguém.

House: Foda-se. Então, o almoço hoje ainda está de pé? Por sua conta? Não se esqueça de me trazer uma carreirinha de Vicodin seu fanático de “Fé na humanidade”.

Wilson: Beleza! Meio dia, okay?

Cena Final: A grande cura, ou às vezes não. Mas, na maioria das vezes, sim:

Foreman, Cameron ou Chase: Caraca, quem poderia imaginar que se tratava de um (inserir uma condição médica impronunciável e possivelmente inexistente aqui), e que nós conseguiríamos curar o paciente a tempo?

House: O que você quis dizer com nós seu arrombado? Agora saiam da minha frente porque vou receber uma garota de programa no meu consultório para aplicação de uma ressonância magnética transretal.

O Fim.

Como todos podem obviamente perceber, House é uma série cheia de situações médicas tensas, contos sobre moralidade, e um monstruoso babaca falante com a barba por fazer. O que mais você gostaria de assistir na TV? O especial da Xuxa? Pois é…

_______

28 comentários sobre “Roteirista de House

    1. Andrea, meu bem.

      Roteirista de Friends, Seinfeld, Mad About You, Will & Grace, 2 1/2 man [vc viu que Charlie Sheen foi pro xilindró mais uma vez? Ha!], Scrubs e afins seria a glória! Os caras são muito bons e eu morro de inveja do talento deles… rssss

      Miau!

      Beijoca.

      Ivan.

  1. Ivan, vc não vai acreditar: Hoje assisti ao House a tarde toda… Estou na 5ª temporada e ele está mais louco do que nunca! Contratou um detetive mais louco do que ele e tá perseguindo todo mundo… novidade, né?

    Fazer o que?… Melhor do que a Xuxa…rsrs…

    Bjs!

    =)

    1. Danni,

      Eu acredito! Eu vi tv, eu joguei XBOX 360 com uma garrafa de 3 litros de coca entre as pernas e um tubo de Pringles ao lado. Tudo isso despenteado, sem camisa, descalço, de samba canção e fazendo campeonato de arroto com a molecada [cada um tinha sua própria garrafa de 3 litros entre as pernas, porque nós somos chiques, bem… blurrrp].

      Melhor que Xuxa, que o Faustão. Só não é melhor que o mano netinho… mentiiiiiiiira… hahaha

      Beijoss.!

      Ivan.

  2. Pô Ivan,

    Eu adoro o House!!! Ele é meu pai! Tudo bem que ele tem umas atitudes beeem questionáveis, mas adoro o humor negro dele. A-DO-RO.

    Quanto as semelhanças entre as mulheres e os gatos, quase sucumbi a tentação de chamar a atenção pra habilidade com a língua, mas vou manter o nível. Ou já perdi? rs

    bjus

    1. Querida Daiany,

      Estou em êxtase por me corresponder com a filha de Dr. Gregory House! Meu bem, arruma uns autógrafos pra eu vender? O que eu conheço de mulher que é louca pelo House. Eu te dou uma participação! Tire umas fotos dele de bengala mostrando o dedo do meio, peça para autografar e ‘nóis enrica’! Ha!

      Dona, o negócio é o seguinte: Esse blog aqui ninguém perde o nível, porque ele é todo desnivelado. Agora eu vou tomar um banho daqueles que não é de gato. Aff!!!

      Beijinhos.

      Ivan.

  3. Ah, babe, assim você acaba com o House!
    Huahuahuahuahuahau…
    Invejinha, queria ter todas as temporadas de House aqui… A única que acompanhei direito foi a 5°.
    Você não quer me trazer, não? Pode ficar pra assistir comigo. Minha TV é de responsa (mesmo) e eu compro Häagen-Dazs do sabor que você escolher, além da coca, pringles e pão de queijo.
    Topa??

    Beijo Grande

    1. Menina, mas que oferta escandalosa é essa??!! Tome tento!!! Ha!

      Se tua TV for mesmo de responsa eu vou assistir House contigo com direito a esse café colonial de acompanhamento! Ha!

      Beijos, meu bem.

      Ivan.

  4. menino por tua comparação entre mulheres e gatos eu tô perdendo feio, pq os meus 3 gatos não incomodam nunca ahahahahahaha.
    House é tudo nessa vida, queria ter aquele humor negro dele e ele tb, claro, pq não sou besta, apesar de estar perdendo pros gatos.

  5. kkk

    Pior é que é bem assim…
    Estou me referindo aos episódios do House, não a semelhança entre a mulher e o gato…

    Bjss;….

  6. (Comentei e fechei tudo, sem enviar. ¬¬)

    Ficou massa o teu roteiro, guri! Gosto do House, ele tem um Q.

    Eu acho que me daria melhor escrevendo roteiro para “Divisão Criminal”, sou viciada naquilo. 😛

    * Meu gato e eu só nos enquadramos no terceiro ítem.

    Beijinho.

    ℓυηα

    1. Luna,

      A tomar pelos textos do seu blog principal, você seria uma ótima roteirista sim. Esse Divisão Criminal eu não conheço não, mas se formos falar em CSI… eu tbm não conheço. Ha!

      Você e o gatinho fingem bem então… rs

      Beijinhos.

      Ivan.

      Ah! Muito obrigado pela tirinha. Fiquei feliz em saber que a visão não romântica em relacão ao House, M.D., não é só implicância minha! rsss

  7. Você está contratado para ser um dos roteiristas de House. Parabéns!
    Ah, e não era Lúpus. Ouvi dizer que era alguma doença auto-imune.

    Quanto ao House, até acho que ele tem um Q…. mas, pra mim, é de Quase… é, ele não conseguiu não! 😉

    1. Ha!

      Eu acho tudo isso muito interessante. No fundo, o Dr. House é a imagem do politicamente incorreto, do feio, do rude, do estúpido, do racista, do pervertido, mas que produz resultados incríveis, que transforma pesadelos em sonhos, do que é impossível, possível, do invisível, visível. O resultado de tudo isso: corações apaixonados, veneração e muita relevação, abonância… por demais. rsss

      Muito interessante.

      Beijocas.

      Ivan.

  8. Achei muito engraçado…pena que não vejo House. Nunca vi. 🙂

    Acho tão engraçado as pessoas se amarrarem tanto em seriados de médicos. Eu odeio. Odeio médicos também. Odeio ver pessoas doentes e novelas mostrando como elas se recuperam (ou não). Nada contra House, como eu disse… eu nunca vi. Foi só uma observação de passagem.

    Ah, engraçadas também as semelhanças entre gatos e mulheres. Tem outras… os gatos gostam de ficar em cima de muros. Têm ar misterioso mesmo quando não têm mistério nenhum. E na média são mais inteligentes que os homens. 🙂

    beijos

    1. Minha linda,

      Eu como roteirista minimalista e resumista acabei de dar uma visão geral de House, M.D. para quem nunca viu. Considere-se uma expert em House em função do que leu. São temporadas e mais temporadas, episódios e mais episódios, exatamente similares. Eu acho uma bela série de humor. É a versão feia de Scrubs! Ha!

      Obrigado por adicionar mais semelhanças a gatos e mulheres. Eu conto mais uma:
      Gatos são lindos parados ou em movimento. Tal qual as mulheres.

      Uia que eu mandei bem! Ha!

      Beijos.

      Ivan.

        1. Tou quase me arrumando com aquela que tem uma vagina que canta. Ela me mandou um voice mail com Gravity do John Mayer. Me dei bem!

          Ha!

          bitocas.

          Ivan.

  9. Aliás, eu nem tenho vontade de ver House, justamente por isso que você mesmo escreveu no comentário acima… ele é o retrato (pelo pouco que meus amigos fanáticos por essa merda já me disseram e pela cara de alcoólatra dele) do que as pessoas gostam… o cara é um escroto mas produz. Isso é o que interessa. Seja um racista, rude, nojento, dependente de substâncias, grosso, solitário, mas produza resultados por favor. Nós te adoraremos.

    Eu não gosto dos anti-heróis, esses escrotos que são no fundo muito gente boa. Tive uma discussão com um amigo uma vez, ele era fã do Capitão Hans Solo em Star Wars porque ele era um canalha maneiro… eu prefiro ser fã do Darth Vader: ele era o cara mais foda, mais generoso, mais inteligente, brilhante, amoroso, talentoso… só que isso tudo o corrompeu. É uma personagem trágica. Isso eu engulo. Agora, o mundo só tem canalha…pra que adorar mais um na tela do cinema? Ou na TV? Não gosto de ver retratos fiéis da vida… é um tédio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s