Segure a Minha Mão.

ntem eu fui jantar com a minha filha Juliana que completou 15 anos. Ela estava linda, com uma sandália de salto alto que o namorado [por que, Deus, por quê???] deu de presente, maquiada, cabelo impecável, cheirosíssima, um mulherão. Entramos no shopping para ir ao Beto Batata, seu restaurante preferido. Quando saímos do carro, Juju foi logo à procura de minha mão para segurar. Num instante eu me vi com aquela gostosura de menina com a pele de pêssego, olhos brilhantes, de mãos dadas num corredor lotado de pessoas. A Juju sempre busca a minha mão quando estamos juntos, e isso jamais me constrangeu. Por algum motivo, ontem foi diferente. Por um instante eu pensei em dizer: “Ju, acho que já está na hora da gente não andar mais de mãos dadas…”. Mas, algo no meu interior respondeu de bate pronto: “Você não fale isso. Essa decisão, essa escolha é exclusivamente dela. Se algum dia ela não quiser mais a sua mão, deixe que ela diga…” e seguimos juntos de mãos dadas shopping adentro. Meu bebê.

Depois do jantar:

–        Quer um Converse novo?

–        Quero. Um branco!

–        Cano alto.

–        Claro!

–        Também acho transadinho.

Juju ri.

–        Por que você tá rindo?

–        Transadinho…

–        E daí? Qual o problema.

–        Nada a ver “transadinho”…

–        Pensa em transa, de sexo?

–        Nãooooooooooo

–        Então qual o problema?

–        Transadinho. Sei lá, parece meio…. velho…

–        E como eu chamo?

–        Styly… ou estiloso…

–        Vc quer que eu troque meu “transadinho” por seu “Styly”… é isso…

–        é…

–        …in your dreams…

* A tal festa de 15 anos onde o pai vai ter que dançar valsa [por que, Deus, por quê???] acontecerá dentro de algumas semanas. E quanto a esse evento, isso é tudo o que você vai ficar sabendo.

oje meu pai entrou no meu quarto pela manhã. A voz embargada dizendo:

– Sabe quem morreu no terremoto?

– Quem?

– A Zilda Arns…

Nesse momento a voz embargada se tornou em choro. Ele virou as costas e foi para o escritório dele. Eu o segui e o encontrei sentado em frente ao computador, página do UOL aberta, a notícia falava da morte da Dra. Arns. Meu pai repetia com as lágrimas rolando pela face:

– Ela amava tanto as pessoas, ela fez tudo por amor. Ela amava tanto. Isso é amor.

Eu segurei a mão dele e dei um beijo em sua cabeça. Meu bebê.

27 comentários sobre “Segure a Minha Mão.

    1. Oi Valéria,

      Daqui a alguns dias tem azar perfeito, aí você vai ver o fofo indo pras cucuias! Ha!

      Mas, obrigado meu bem. Você é que uma fofa.

      Beijoquinha.

      Ivan.

  1. Meu bem, você corre o “risco” de ter que andar com esse mulherão de mãos dadas por aí durante muitos anos ainda… E que delícia deve ser! Como ela está linda. E pra quem olhar feio, fale bem alto “fui eu quem fiz”. 😉
    Ainda bem que você se conteve e não disse nada pra ela. Esse tipo de censura realmente não deve ser feita. Quanto a festa… Eu quero muito saber mais… rsrsrsrs

    Engraçado que quando a gente “vira adulto” (pra mim isso aconteceu tem um tantinho menos tempo que pra você) percebe que pai e mãe é tão frágil quanto a gente. Meio que cai aquela certeza de que nada é capaz de abalar a força deles, cai a certeza de que são super heróis, e a gente percebe que somos todos os “bebês” uns dos outros. Acho engraçado pensar nisso…

    Beijo Grande

    1. Oi, meu bem!

      De que festa você está falando? Não sei de nada!

      Tudo isso é meio Benjamin Button, né? rsss Eu, agora que sou velho [apesar de gostoso, lindo, cheiroso, maravilhoso, tudibão, o plus, um pão, um pitel, humilde e modesto], estou lendo Pequeno Príncipe. Eu leio e releio porque quero ser tocado por essa história, sobretudo, a ver o mundo com os olhos de uma criança.

      Isso fez sentido? Pra quem é criança fez, né? rs

      Beijos.

      Ivan.

  2. Oie….

    de repente, senti uma falta, que nunca senti……
    me emocionei, de verdade….isso é muito bonito!

    Deus quer as pessoas legais do lado dele….diga isso ao seu pai…..

    bjos!

    1. Oi, meu docinho!

      Emoções nova é sinônimo de amadurecimento. Curta cada uma delas com respeito e orgulho. Isso é muito bonito.

      O papi sabe disso. Hoje ele dizia na mesa do café ao assistirmos declarações da familia Arns: “Eles sabem pra onde ela foi..”

      Bitoca.

      Ivan.

  3. Ai que fofo…

    Tudo isto… ai. ai.. família é família e nunca vai deixar de ser…

    Sobre meu pai..r.s.. engraçado, estou em uma situação diferenciada aqui… mesmo aos 26 anos as vezes gosto de andar de braços dados com ele… e da mesma forma que fizeste ao seu pai, também vou lá e dou um beijo na testa…

    É o amor!!

    Bjos bb…

    1. Oi Sil,

      Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?

      Obrigado, Fernando Pessoa. 🙂

      Beijos, florzinha.

      Ivan.

  4. Ivanzoca meu fofo….
    Que coisa mais linda de filha hein !!!
    Parabéns!

    Quanto a Dra. Zilda, fiquei muito triste também….uma das poucas mulheres realmente exemplo nesse Brasil de bundas e mulheres frutas… Sou fã do seu trabalho, desde que li uma reportagem com ela na VEJA, mulher de fibra e dedicada ao próximo…. grande perda pra nós….
    Manda beijinho pro seu pai….grande homem….
    Beijos queridão…..
    Love

    Babi

    1. Babi minha rainha da loucura…
      Diz que essa menina não é uma gostosa do papai!! E olha que essa é a minha filha feia, hein!

      Hoje, pelo café da manhã o velho se emocionou mais uma vez. Eu adoro esse meu pai. Coraçãozão enorme. Se eu soubesse disso quando eu era pequeno eu teria apanhado menos e conseguido mais dinheiro. haha

      E a vida continua com essas “injustiças”. Por que a dona Arns, né? Bem que poderia ter um terremoto na escala 1000 lá no congresso, lá na sede do Al Qaeda, lá na casa do BBB, no nariz do Luciano Hulk, na puta que pariu… mas, não. Aconteceu lá no Haiti, dentro de uma igreja, com uma mulher boa, ou melhor, uma boa mulher, ajudando aos que precisam.

      É nóis, Babbi.

      Beijos.

      Ivan.

  5. Poxa, que texto mais lindo.
    Ainda bem que voce não falou nada sobre andar de mão dadas hehe Enquanto eles querem e gostam, é a melhor coisa que há.
    Deixa a maldade pros outros, tua linda filha ainda não pensa assim (ainda bem)

    Ó: me emocionei demais imaginando a cena com teu pai.
    Beijo pros seus 2 bebês.

    1. Oi Ana,

      Pois é, fiquei feliz por não ter me precipitado. Teria sido um terrível erro. Mas, não foi. Suas ponderações estão mais do que perfeitas. Amem e amem.

      É. Meu paizão é um poço de sensibilidade e emoção. Será que eu puxei a ele? Será, será? rsssss

      Beijo pra ti tbm, coração.

      Ivan.

  6. Ai… olhos marejados com a doçura do seu pai…

    E, ó: eu também acho que a decisão de parar de andar de mãos dadas tem que ser dela, viu? Na verdade achei lindo demais isso.

    Cada dia te admiro mais! 😉 =*** Beijos, querido!

    1. Miss desse Universo,

      E sabe que eu nem contei que a Juju me dá selinho? rsssss A gente é muito chegado. Todos nós.

      Há reciprocidade na admiração.

      Beijos, linda.

      Ivan.

  7. Juju, além de linda, é esperta! Parabéns para ela, pelo aniversário e pela atitude. E esse pensamento bobo, que passou aí pela tua cabeça, de não andar de mãozinha dada, vou desculpar porque tu tem crédito, viu, bb? 🙂

    A etiqueta personalizada, que luxo! Rs

    Tão lindo, isso, né? Tu, pai, teve um momento de fragilidade. Tu, filho, foi forte e acarinhou teu pai, quando ele estava triste. Amor puro e do bom, em diferentes versões.

    Beijo, beijo.

    ℓυηα

    1. Linda Luna,

      Você sempre atentíssima aos detalhes. Gosto de gente assim. É gente como eu. 😉
      Obrigado pelas palavras doces de ânimo e os conselhos. Serei um bom menino e os obedecerei.

      Beijoca.

      Ivan.

    1. Sentimental,

      Linda é você, xuxu [eu gosto de xuxu]! Eu prometo segurar a mão dos dois enquanto eles quiserem. Combinado? Smacks.

      Ivan.

  8. Há um menino
    Há um moleque
    Morando sempre no meu coração
    Toda vez que o adulto balança
    Ele vem pra me dar a mão ….(Milton Nacimento )

    Linda a sua Juju (mande beijos e parabéns), continuem entrelaçando os corações e as mãos assim todas as estrelas sempre vão iluminar essa relação!

    Já te contei?que fui professora de dança do Carlinhos de Jesus, se precisar de umas dicas estou aqui (rs).

    Ps.. Tristeza pelo Haiti sempre !

  9. Putz, texto sobre pai e filha me chegam profundamente.. pq de repente você não quer mais segurar a mão do seu pai, porque não confia mais, ela não estava ali quando você mais precisou.
    Legal saber que a sua filha não passará por isso. Ausência paterna é definitivamente o mal deste e do século passado.

    Bjos

    1. Querida Luana,

      Obrigado por seu comentário. Ele me pareceu bem honesto e real pra você, e concordo, a mão que não estava quando precisava estar, realmente deixa marcas e sequelas.

      Beijoca.

      Ivan.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s