Down On High Society

O pai de classe média alta parado em frente à loja de brinquedo tenta convencer em vão o filho de 8 anos.

– Antero Junior, um Playstation 3 seria muito melhor para você…

– Eu não quero Playstation. Eu quero um Forte Apache.

– Filho, o custo benefício do Play é bem maior.

– Quero um forte cheio de “indinhos”…

– Mas, então, que tal um Nokia 5800 touchscreen?

– Forte Apache.

– Blackberry?

– Forte Apache.

– E o que dizer de um carrinho de controle remoto? Eu vi um Porsche Carrera movido a gasolina que vem com carroceria pré-pintada, chassis de alumínio, motor PRO-18BX com recoil starter, câmbio de 2 marchas, rádio de 2 canais com receptor e 2 servos já instalados, filtro de ar com duplo elemento filtrante, tração 4 x 4 integral por carda, chaves de vela e de boca. Quer?

– Eu quero um Forte Apache [Fazendo um bico do tamanho do shopping].

O pai perdendo a paciência pede socorro à esposa que está distraída com a vitrine de uma joalheria e pensando: “quero dois daqueles, um desse, esse eu já tenho, esse é ouro branco e eu não gosto…”

– Açucena, faça alguma coisa! Fale com seu filho! – diz o marido exasperado.

– Nosso filho, Antero… [rolando os olhos na medida em que o excesso de botox permite]

A mãe, por conta do apertadíssimo jeans Dolce & Gabbana que comprara pela bagatela de R$2.000,00, se abaixa com muita dificuldade para falar com o menino.

– Antero Junior, filhinho, porque você quer esse brinquedinho tão pobre?

– Por que tem indinho e soldadinho.

– Mas o seu amiguinho  Bruno Assis  Acioli Souto Maior ganhou um GPS de última geração.

O menino não mais suportando a pressão se joga no chão e faz o escarcéu que todo pai, rico ou pobre, teme.

– Eu quero um Forte Apache, eu queeeeerooooo…

O Antero, com medo de ser visto por algum colega do escritório e para fugir do salseiro, entra numa loja de bijuteria que, em condições normais, jamais adentraria. Açucena ao se contorcer todinha tentando tapar a boca de Antero Junior e escapar das mordidas, começa a sentir câimbras por conta da calça atochada, e por fim se rende ao menino avisando-o que irá comprar o módico e bucólico brinquedinho.

– Tá bom filhotinho! Mamãe compra, mas você vai ter que aceitar aquela viagem para Eurodisney e para Dubai, tá bom?

– Eu só vou se puder levar meu Forte Apache.

O pai ao avistar de longe o menino e a mãe na fila do caixa, sai detrás de um expositor de bijuterias que usou para se esconder e aproximando-se da esposa cochicha:

– O que podemos fazer para esse menino ter um pouco de glamour?


Add to FacebookAdd to DiggAdd to Del.icio.usAdd to StumbleuponAdd to RedditAdd to BlinklistAdd to TwitterAdd to TechnoratiAdd to Yahoo BuzzAdd to Newsvine

32 comentários sobre “Down On High Society

  1. Olá Ivan!

    Antero, Antero Júnior e Açucena certamente estarão na próxima Caras…
    Forte Apache é um clássico! Naturalmente, só aqueles que tem uma certa sofisticação cultural saberão apreciar…

    Beijos,
    D.

    1. Oi D,

      Você não leu a última edição [eu recebo em casa, um luxo!]. Pois bem, Antero Júnior fez da jaca uma pantufa e mostrou a bunda em caras. O menino teve um ataque estilo Amy Winehouse e tirou foto mostrando o dedo do meio, tirando meleca, segurando e apertando “his crouch”, e, claro, arriando as calças. Açucena comprou todas as revistas nas bancas do Itaim Bibi, e Antero não aparece no escritório há uns 4 dias. A Globo fez contato tentando contratar o menino para fazer par romântico com a menininha vampiro maldosa sádica possivelmenteassassinadeodetereutman da novela das oito, mas o agente que Antero contratou disse que os PAIS só assinam contrato se for para Antero Jr. substituir o Zé Mayer [o que não seria má ideia].

      I’ll keep you posted [no pun intended]

      Ha!

      Bitoca.

      Ivan.

  2. Hahaha…Você é impossível, Ivan!
    E Manoel Carlos que se cuide! A Globo vai contratar é você para essa dramaturgia!
    Antero Júnior já tem idade (entre outras coisas) para substituir José Mayer? Olha que, como disse o José Simão, nem o azeite é virgem na casa dele.
    Beijos,
    D.

    1. Querida D,

      Entenda, Antero Jr. foi alimentado com leite de cobra desde as primeiras semanas. O moleque está pronto pra assumir José Mayer com a vantagem de que, com ele, os comerciais seriam desnecessários, porque, se você ainda não sabe, a novela das oito só tem intervalo para esfriar o pinto de Zé. Antero Jr. nao precisaria disso, pq desde pequeno seus pais implantaram um cooler no pingolinho de Jr.

      [Deus, eu estou enlouquecendo! rssss]

      Beijo.

      Ivan.

  3. Meu filho quis um Forte Apache de presente no último aniversário, achei o máximo. Mas na hora que ele começou a atirar nos índios … quase tive um troço … mudei a brincadeira na hora, contei uma história que índios e soldados eram amigos e que eles precisavam defender o forte dos …dos … dos … dinossauros, lógico! (rs!) e ele voltou a brincar feliz …

    1. Clarice,

      Seu filho é um iluminado. E você não ficou atrás. Eu me lembro de preferir os índios aos soldados. Os cavalos malhados dos Apaches sempre me impressionaram. Além de morder os bonequinhos [comigo é tudo assim, na boca], eu criava meus enredos, e vou te contar: era porrada pra tudo que é lado! Meus pais, embora, maravilhosos, não estavam presentes quando eu brincava, mas não creio que haveria uma postura humanista e pacificadora como a tua! 😛

      Beijinho.

      Ivan.

  4. Amei a música. Baixei..rs

    Nunca gostei de forte apache, apesar de ser indio-descendente. Sempre achei muito coisa de menino…Gostava do Playmobil, tinha mulheres também.

    p.s: e assim vou vivendo…

    1. Solzinha,

      Playmobil era o bicho! Só que era caro e a minha infância foi de hábitos módicos [algo que parece ainda não passou na minha vida.. ha!]. Mas, eu tive alguns poucos. Era gostoso de por na boca.. [eu tenho esse negócio.. tem que por na boca, sabe como é? Doentinho…]

      Ah, eu lembro de uma enfermeirinha no playmobil. Era branquinha e tinha um cruz vermelha na barriga.

      Vamos brincar?

      Beijos

      Ivan.

  5. Rs

    Impossível não ver toda a cena, com destaque para o jeans suuuuuuper confortável da mãe…

    Guardadas as proporções, lembrei de uma história clássica, da minha família : minha irmã do meio, quando tinha uns 5 ou 6 anos, jogou no lixo uma corrente de ouro porque queria o estojo, para guardar uma de miçangas, que ganhou da amiguinha. Não é lindo, isso? 😀

    Beijo, beijo, meu bem.

    ℓυηα

    1. Luninha,

      Criança e lixeira é uma relação bem legal. Meu sobrinho Luquinhas, de 4 anos, depois que foi proibido de jogar mais video game, pegou o celular da mãe e jogou no lixo. Eles só descobriram semanas depois quando ele confessou. A minha cunhada disse que realmente achou estranho que instantes depois que ela o proibiu de brincar mais no video game, ele veio da cozinha limpando as maozinhas [esfregando uma na outra] e dizendo: “Plonto! Está lesôvido!”

      hahahahahaha

      Adoooooro peste assim!

      Beijos.

      Ivan.

  6. Ah, vou ficar cantarolando :

    ♪ “Dizer que o tempo vai levar
    Pra longe tudo que passou
    E assim vou vivendo…” ♫

    Gosto desses caras. 😉

    xoxo

    ℓυηα

  7. Crianças são mesmo fascinantes!
    Aposto que o Juninho (posso chamar assim?) é cheio de brinquedos modernosos, eletrônicos e caros, e por isso mesmo, um “simples” forte apache chame tanto a atenção… Algo que não fale, não ande sozinho, que permita que ele, criança, conte suas histórias… Algo diferente, novo, o uso da bendita e sagrada imaginação.
    Quando eu pensei em comentar citando a imaginação infantil, me lembrei de um tweet do Neil Gaiman, que eu classifiquei como “Favorite”:

    “Dressed. Porridge eaten. Tea drunk. Now off to tell kids that their imaginations are the most important things they possess.”
    9:17 AM Jun 9th, 2009

    Quero poder falar isso sempre pras crianças com que venha a conviver. Eu era tão imaginativa e tão absurdamente feliz por isso!

    🙂

    E vida eterna pros brinquedos que não precisam de pilhas incluídas.

    Beijo Enorme

    *ainda triste pelo comentário perdido*

    1. Maíra,

      Finalmente alguma coisa boa que eu vejo saindo do Twitter. Maravilhosa a citação.

      Você me fez lembrar de uma boneca da minha irmã que eu coloquei fogo pra saber se ela iria gritar. Ela não gritou. Minha irmã sim. E minha mãe também.
      A boneca não gritou, entendeu?

      Que pena que perdeu o comentário? Eu agora já tenho mania de dar um Ctrl-A e Ctrl-C. Já passei essa raiva.

      Beijão, minha flor.

      Ivan.

      1. caramba…

        que frase, Maíra…me faz lembrar uma do Henry Miller :

        “the aim of life is to live, and to live means to be aware, joyously, drunkenly, serenely, divinely aware”

        bjs

        Ivan !

        A boneca não gritou ?
        Tentou com outras ? Aquela podia estar com defeito….

        abçs

        1. Eu ia tentar com outras, mas a minha mãe disse: Se você queimar mais alguma boneca da sua irmã eu vou te jogar num tanque de gasolina e depois na caldeira do prédio. Eu fui jogar bola de gude.

      2. Já te disse que o Twitter ser bom ou não só depende de quem você segue.
        Você ia adorar seguir o Neil Gaiman… Essa que eu citei é só uma das coisas lindas que ele escreve sobre as crianças com as quais volta e meia ele interage.
        Essa semana foi uma cheia dessas, ontem ele visitou uma escola, leu histórias e voltou com uma dessas:
        “It was Crazy Hair day at Scott School today. Kindergarten to grade 5. I read them Dad For 2 Goldfish. Great questions eg “do You like pie?””.
        Sim, ele gosta: “A deluge of questions. So: 1) Yes, I read Crazy Hair too. 2) Of course I like pie. What kind of people would I be if I didn’t like pie?”

        BTW, sabe quem é esse tal neilhimself, né?

        Beijo beijo.

  8. forte apache é demais !

    comigo era na porrada também…indio tomava um cacete num dia e no outro detonava o forte !

    humanizar uma aventura no forte-apache ?

    a 40 anos atrás ?

    coisas de hoje…

    quero meu forte-apache de volta e também meus soldadinhos, aqueles verdinhos que tinha rifle na mão e jipinho com metralhadora…

    1. Claudio,

      Que pena que a gente nao guardou os bonequinhos. Eu tinha um monte que ficava numa caixa de Bamba. hahahahaah… ou será que era de Conga? Kichute?

      Velhos e bons tempos. XBOX 360 é o caralho!

      Um abraço amiguinho!

      Ivan.

      1. xbox é pra quem não tem criatividade ou mãe repressora…

        caixa de bamba, de kichute, de conga, de…sapato 752 da vulcabrás…

        guardava-se tudo nelas

  9. Ivan

    nada a ver, mas , acredita que um rapaz de 20 e poucos anos, hoje, não conhecia Simon & Garfunkel
    e veio me perguntar se é bom… ?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s